sábado, 1 de setembro de 2007

Verdade

Após uma tentativa frustrada de fechar os olhos para tentar dormir, resolvi levantar-me e fazer qq coisa. De repente, assim do nada, uma pergunta assalta-me a cabeça:

"Verdade. O que é a verdade?"

Fiquei assustado. Para que raio queria eu saber o que era a verdade? Simples, era tudo o que correspondia à realidade, pensei. No entanto, parecia que não era essa a resposta, ou a pergunta teria deixado cabeça.

Já tinha ouvido essa pergunta algures, mas onde? Resolvi perguntar à única pessoa, que àquela hora da noite, tambem nao conseguia dormir.

Pedro: "O que é a verdade, perguntas tu...", disse enquanto procurava um livro na estante, "...devias ter isto melhor arrumado. Mas isso eu ja nem comento."

Eu: "Fazes bem. Mas pera la, do que é que estás à procura? Pode ser q eu saiba onde está.", sugeri, embora percebesse que ele nao tinha ouvido nada do que eu tinha dito.

Pedro: "Ah! Está aqui!", e retirou um volume enorme. Era a Biblia. Deu-mo para as mãos, dizendo: "São João. Interrogatório de Pilatos a Jesus."
Abri ferneticamente à procura da dita passagem.

"Disse-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz. Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade?"

Reli uma, duas, três vezes. Pq razao não respondeu Jesus?
Pedro sentou-se no chao, encostado à parede. Um leve suspiro, e perguntou-me: "O que é o amor?"

Eu: "Para que é que isso interessa agora?"

Pedro: "Porque é a chave de tudo. Talvez Jesus não tenha respondido a Pilatos algo que ele nao poderia compreender. E porque ja o tinha feito anteriormente. Lembraste quando ele disse: "Eu sou a Verdade e a Vida"?" , disse, sorrindo como quem insiste que eu puxe o máximo pela minha cabeça.
Eu continuava sem perceber quase nada do raciocinio dele. Porem fiz um esforço: "Sim, embora não perceba a ligação."

Pedro: "A verdade é o amor." Ao ouvir isto parti-me a rir. Desde quando é que a verdade podia ser o amor?

Eu: "Deve ser das horas, que não estás a regular bem da cabeça. Como é que consegues perceber que a verdade é amor?"

Pedro: "Re-le: Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. O Homem foi feito para amar, nao para constantar factos reais de qq coisa q seja. O valor que damos à verdade na vida real não é o sentido mais exacto da palavra."

Eu: "Entao significa que vivi estes anos todos na mentira, como muita gente que não amou?"

Pedro: "Acho forçada a palavra mentira. Chamar-lhe-ia Ignorância. Jesus deixou bem claro: "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.". E Ele próprio disse que este era o Seu grande mandamento. A base de tudo é o amor."

Eu: "Hum... entao, mas há imensa gente que não ama e é feliz."


Pedro: "Achas mesmo? Olha como vivias antes e como vives agora. Essas pessoas pensam que são felizes, mas creio que vivem numa ilusão."

Tudo fazia sentido agora. Tentei dizer algo, mas nao conseguia. Mais uma vez o meu lado-oculto deixava-me estupefacto.

Eu: "Como sabes tu isto tudo?" , perguntei, curioso.

Pedro: "Boa noite, André. Descansa, amanha vai ser um dia longo." , e dito isto, saiu.

2 comentários:

MAGA disse...

Toda a gente ama... nem que seja um pouco só... e esse amor pode vir de todos os cantos... até de onde menos esperamos!
Aproveita o amor! O amor d'Ele, o amor dela, o amor da tua família e dos teu amigos! :D

ADORO o pedro!

Anabela disse...

Não percebi quando disseste que não conhecias a verdade, uma vez que esta é o amor... só me passou pla cabeça: "...right! Até parece!". Sim, André! A tua vontade de saber (cuiosidade é inteligência e amor pla vida), as pessoas que fazes ou fizeste felizes... diz-te alguma coisa? Não te conheço há, sequer, meio ano...dois meses...mas tu, além de teres essa aparência misteriosa (que fica sempre bem), és transparente! És como a água, transparente, puro e refrescante!...Ou estarias a falar de outro tipo de amor?...André, posso dizer-te que, pela minha intuição que nuuunca me deixou mal, que o teu destino não é seres frei!... Queres sentir-te amado e saciado e sem problemas (que é o que Deus proporciona, é um parceiro, digamos, perfeito! :) Mas não és de fugir por aí porque apaixonares-te pode ser doloroso ou outra coisa qualquer!... Bem, estou a pensar agora que, se calhar, um dia em conversa, seria melhor falar nisto ou noutras coisas contigo em vez de comentar os teus post's, pois não entendo como poderás lê-los, uma vez que já são a modos que antigos :)...Um beijo, companheiro!