domingo, 1 de fevereiro de 2009

Evoluções


Ontem, sabádo, foi um dia de experiencias. Experiencias de evolução. Complicado? Creio que sim.

Sinto-me, por vezes, como aquele tipo jogador de futebol que ao chegar ao novo clube promete, em vez de titulos e "falsas promessas", apenas trabalho. Vem para trabalhar.

Creio que tenho a mesma postura na música. Apenas sei que posso prometer trabalho. E tem sido assim.

Esta semana fui convidado, pelo próprio, a ir substituir um organista amigo na missa das 19h, da Basilica da Estrela. Nao recusei.

Sei que nao fui coerente. Ja me tinha desmarcado de alguns encontros para essa mesma hora, com a desculpa que tinha exame na terça a precisava de aproveitar bem o fim-de-semana. E quando este convite surgiu, nao o recusei. Gosto de coerencia, sei que nao foi o que tive, mas era uma oportunidade de ouro.

Sao estas oportunidades que tenho que agarrar. Poder tocar fora. Poder tocar num sitio importante, perceber o quao preparado agora estou para sair da minha "toca" e "enfrentar" outros sitios. É uma alegria para mim.

Há um ano atrás, estava longe de imaginar que por esta altura já teria um lugar fixo como organista numa paróquia. Estava longe de imaginar que S.Nicolau tornar-se-ia um lugar onde tambem iria tocar, e que ate conseguiria chegar à Basilica da Estrela!

Nao são, de certo, os meus pontos altos como pseudo-organista. Mas gosto de olhar para eles como frutos de trabalho. Como frutos de um querer evoluir.

Estou actualmente a "residir" na Paróquia do Campo Grande, e retenho uma frase do fantástico Padre Feytor Pinto: "Nunca queiras nada."

Penso que é assim que se chega longe. A frase é para ser levada com moderação! A ambição nao deve ser nula, mas tambem nao deve ser de tal forma desmedida que nos... cegue. E algunas sucessos podem fazer. Cegar-me por momentos. Tento que nao.

4 comentários:

joanamaro disse...

E pensar na nossa conversa há alguns aninhos atrás..ao pé da Câmara Municipal..
Estou muito contente por ti, André, a sério. Por muito que me digam o contrário, as más pessoas nunca podem ser bons artistas. Então na música, isso é mais que evidente. Podem parecer más pessoas, mas nunca o são realmente. As más pessoas não são artistas, porque vêm a arte apenas como mais um trabalho. Assim, realmente, ela acaba por transformar-se efectivamente num trabalho igualzinho a muitos outros. As boas pessoas vêm a arte com um laço de amizade tão grande que não podem passar sem ela, sem a trasmitir aos outros do mais fundo do que têm. Afinal, é o espelho do seu bom coração. E tu terás tudo o que quiseres, porque és um rapaz fenomenal e imensamente diligente. Vivendo a vida a pouco e pouco, concordo, eu sei que não te impões o limite de não olhar mais para a frente. Tens tudo para vingar!

LenaD disse...

Ah! Foste tu o "miúdo" que me falaram ter ido tocar á Estrela...
Tocar naquele orgão não é para qualquer um :)
Bjos

Leonor Frazão disse...

Dizia Ricardo Reis:
"Quer pouco: terás tudo.
Quer nada: serás livre."

Cacao disse...

quando temos um post novo:)?