quinta-feira, 20 de maio de 2010

Incertezas

Se me perguntarem onde estarei para o ano, o que estarei a fazer, a resposta é uma suspensao. É raro, mas nunca me lembrei de estar em tal situação.

Quando fiz a mudança do 9º ano para o 10º, a mudança de escola originou várias problemas burucráticos, e aí apenas sabia que iria fazer o 1oº ano. Nao onde estaria.

As hipoteses estão definidas, os percursos alternativos tambem, mas a verdade é que mesmo isso nao deixa qualquer certeza nem segurança: é como uma equipa de futebol que ganhou 2-1 em casa, numa eliminatória. Está a correr bem, mas pode descambar.

Tenho fé que vai ser possivel, com calma, chegar aos objectivos pretendidos, mas hoje, dia 20 de Maio de 2010, parece longiquo e inalcansavel. Parece utópico. Sinto que acredito em mim, mas tambem rara a vez, sinto que isso só nao chega.

Inegavel é a aventura que, depreendente da situação, se vive. O retorno à Holanda'10 nao será diversão, nem passatempo, nem férias: é uma decisão.

Espero, com calma, pelo desfecho.

7 comentários:

Ana Macedo disse...

Força! =)

João Carlos disse...

Como eu te compreendo, caro amigo! A vida é mesmo assim: uma caixinha de surpresas que nos reserva incertezas quando menos esperamos. Mas o importante é não deixarmos de acreditar em nós e... claro, darmos sempre o nosso melhor. Também eu me encontro metido numa encruzilhada de incertezas, como tu bem sabes. No entanto acredito que o nosso amigo Jesus não nos vai deixar "na mão", e no próximo ano, certamente, iremos estar a fazer aquilo que queremos, de uma forma ou de outra. Ânimo para o resto da "caminhada".

Anónimo disse...

Olha lá, porque não vens aos Açores?
São uma boa terapia para arejar as ideias, e nós temos saudades tuas...

Beijo! Paula.

MaGui disse...

Eu acredito em ti!! Aconteça o que acontecer, será o melhor e eu estarei contigo! :)

baGa disse...

...e se calhar os planos B ainda se tornam no melhor que nos podia ter acontecido! whatever works, estaremos lá para ver.
comblé, rama rama ding dong *

Bayley disse...

Não podia sentir-me mais reflectida em ti. Há um ano atrás (suponho que te lembrarás) estava precisamente nessa fase: a incerteza é tanta que já se anseia pela chegada do dia e um resultado, qualquer que seja.
É normal sentir isso, mas creio que há que lutar um pouco contra essa tendência e colocar o foco sobre o presente, sobre o caminho que leva a esse dia (sabes que ele chegará de qualquer modo, se apreciares a espera, melhor!).
Ok, eu sei que isto é fácil de dizer e quase impossível de aplicar... pois pensa também que, aconteça o que acontecer, o próximo ano será melhor que esse, e que todas as possibilidades têm os seus prós e contras.
E André, temo que estejas errado: porque o teu retorno à Holanda só não será diversão se não o quiseres, e muito menos será uma decisão: tens pouco mais a decidir que dar o teu melhor. Não, o regresso a Haia será um mero Evento no teu caminho, em que por um raro momento na vida terás o destino entregue a mãos alheias.
E o mais importante: não há um resultado positivo e outro negativo. É uma simples encruzilhada em que ambos os caminhos vão dar ao mesmo fim. De forma diferente, sim, mas quem os traça és tu.

Anónimo disse...

Um passo de cada vez ;) e força :)
beijinhos

Katia