quarta-feira, 21 de maio de 2008

Instrumento Teu

Entrei em casa, entrei no quarto, Pedro estava sentado a ler um livro. Atirei a mochila para a cama, ele levantou os olhos do livro e apenas disse:

"Nao stresses.." e levantou-se. Continuou, dizendo: "Anda, vamos ao Colombo."

Sem proferir uma palavra, segui-o. No elevador, ele lembrou-me disto. Nao pude deixar de sorrir. Ja com um sorriso na minha cara, relembrou-me outras tantas histórias, ditas loucas, em tao pouco espaço de tempo.

"A energia ainda cá está, Pedro. Sem dúvida."

"Mais pareces um Indiana Jones..." murmurou, à saída do predio.

Enquanto andavámos, Pedro nada dizia. Nao precisava. Eu sabia o que ele pensava. No entanto, disse-me:

"Hoje deparei-me com uma carta para ti, de uma amiga tua...." e antes que eu pudesse transformar o meu olhar de raiva em palavras, disse: "que em poucas frases, descreveu tal e qual a tua pessoa."

Calei-me. Deixei-o prosseguir. Gosto de me ver "por fora".

" "Ser André é viver cada dia, aproveitando cada momento e saboreando-o ao máximo, fazendo com que cada momento seja marcante." " . Relembrei-me entao da carta. Sim, era verdade. Eram frases que me descreviam melhor do que eu o poderia alguma vez ter feito.

Pedro nunca temeu o futuro. É impressionante. Na sua forma simples de ser, a fé sustenta tudo. Tento seguir-lhe o exemplo. Ha poucos dias, outra amiga achava chocante, mas pelo positivo, a minha fé. Disse-lhe que achava que era tudo o que eu nao tinha, fé. Ela achou piada, e disse-me que nao. Que eu estava errado.

Pedro nunca temerá o futuro. Tem-no programado, de maneira desalinhada, como quem se deixa levar pelo vento, mas quem sabe para aonde o vento o leva. Estranho. O aprendiz pode ultrapassar o mestre, mas quando?

Vivo cada dia na Tua certeza, de que quero ser Instrumento teu. E sei que por muito que custe, é isso que vale a pena. Sei que já o sou, mas por vezes afasto-me do caminho com a facilidade de quem desiste.

" Desistir... é taoo facil. Ja reparaste? O que custa, subir ou descer a montanha? Será a sensação da chegada ao cume, depois de tanto esforço, equiparavel à descida? Nunca. É um absurdo." disse Pedro. Eu sei. Creio que o encontro com a Izzie lhe terá feito bem.

2 comentários:

Tiago Krug disse...

=) ...

magui disse...

Sempre lá!... Ele nunca te abandonará... E aqui podes usar o "nunca" com toda a certeza! =)