quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Driving through the night


O Luis tinha acabado de fechar a porta do carro, e eu esperava que ele fosse para dentro do seu prédio, para poder ir embora. Tinhamos saido de mais um ensaio com os escuteiros, e eu tinha-o ficado de levar a Telheiras.

O que eu nao esperava era companhia na viagem de volta para casa. E assim, quando o Luis saiu do meu horizonte e eu me preparava para trancar as portas, alguem deita a mao à porta do lado do passageiro. Fico estarrecido. Tranquei rapidamente as portas, e continuei a olhar para o sujeito. Nao lhe via a cara, apenas o corpo. Nao era muito grande, nem muito forte, e estava vestido com roupas um bocado estranhas.

"Túnicas?!" - pensei. Era o que pareciam. Mas nao fazia muito sentido.

O sujeito la resolveu baixar-se e mostrar a sua cara. E...

"Ah! Ahahhahha!" - ri alto. Abri as portas do carro. Aquele sorriso que me olhava era inconfundivel. Deixei-O sentar-Se ao meu lado. Melhor dizendo, Ele deixou que eu O pudesse transportar naquela viagem. Sentou-Se, Olhou para mim e riu-se alto:

"Entao André? Mas querias que eu ficasse à chuva? Olha que estas roupas nunca foram as minhas predilectas para esta época!"

Que Jesus tem uma maneira peculiar de fazer as coisas, eu ja sabia. Mas surpreende-me sempre. Liguei a musica, tinha levado um cd de Natal.

"Desculpa lá. Nao tens medo de vir comigo? Tu... deves ter outras maneiras mais... seguras." - respondi com um riso.

"Estou aqui porque gosto de fazer companhia. E a viagem ainda é um bocado, e dá para falarmos."

Inversão de marcha, e arranquei. Estranhei a Sua presença, embora soubesse que precisava. A noite chuviscava, os carros eram poucos. Sinal vermelho. Aproveitando a paragem, olhei para Ele. Percebi que tinha de falar. E desta ver, fui eu que adivinhei as perguntas d'Ele. Hábitos.

"Está tudo bem. Um bocado cansado, as semanas tem sido a dar o litro, sempre. Com momentos de descanso para equilibrar."

Ouvi-O a rir-se.

"Se fosse só isso.. Vá, conta la. Sem medos. Sou eu, caramba!"

Cocei a cabeça. Sinal verde. Avancei lentamente, a pressa de chegar a casa nao era muita.

"Faz-me confusão. Nao sei o quê, mas algo anda a fazer-me confusao...."

Jesus inclinou-se para a frente, apoiou os cotovelos nas pernas, e a cabeça nas maos. Nao tinha cinto. Avisei-O. Ele olhou-me com um olhar quase irónico. Suspirou e disse:

"Percebo-te. Mas em verdade, em verdade te digo: louco é aquele que nao sonha." e endireitando-se, disse: "Ja viste bem o sonho de meu Pai? Se alguem aqui tivesse esse sonho, chamar-lhe-iam louco. Achas que é?"

"Nao. Mas digamos que logo à partida é um bocado surreal."

Jesus fez um ar conclusivo. Como alguem que tinha acabado uma demonstração matemática muito complicada, ou tinha acabado de tocar algumas peças de Messiaen muito complicadas. Levantou a mao, e apontou. Apontou para a frente:

"Que te faz crer que naquele cruzamento aparecerá um carro vermelho, de matricula acabada em 08?"

"Nada",
respondi. E realmente, porque haveria?

O meu carro avançava calmamente pela noite. E no cruzamento, um STOP obrigava-me a parar, e a abrir a boca em sinal de espanto: à minha frente passava um carro vermelho, de matricula acabada em 08.

"Falta-te fé. Falta-te sonhar."

E dito isto, abriu o porta luvas, tirou uma caneta e um papel, assinou uma receita, como se de um médico se tratasse.

"Quero que ponhas isto, algures no teu quarto."
, e dito isto, entregou-me o papel. Dizia: "Fé, Sonho". Apenas duas palavras. A letra era parecida com a minha. Olhei mais atentamente. Era a minha! E olhei para o modo como Ele escrevia: esquerdino. Achei piada.

O carro continuou, estavamos a chegar perto.

As luzes começaram a apagar-se. Tinha os médios ligados, mas pareciam nao iluminar muito.

Estava a deixar de ver o caminho.

Olhei para Ele uma última vez, sem perceber o que se estava a passar.

"Sonha e tem Fé. O resto... eu trato."

E num sobressalto, acordei.

Será que Ele seria mesmo esquerdino?

Nao sei. Mas o papel... esse está lá no meu quarto.

6 comentários:

magui disse...

Lindo!!

joanamaro disse...

Eu não dirira melhor. É isso mesmo.

luigi disse...

:') sempre giros os textos... e que não é verdade o que esta escrito!!

João Carlos disse...

André, já te disse, pessoalmente, que este texto me chamou muito à atenção, porque, de facto, está simplesmente genial. Não podia deixar de o dizer, também, aqui neste teu espaço onde vais "desocultando" o teu ser, aquilo que és.
Jesus vem sempre ao nosso encontro! Só que por vezes não nos damos conta de que Ele está mesmo ao nosso lado, pois andamos distraídos com outras coisas que nos afastam d'Ele. O J.C nunca nos falhará! Porque a sua vocação é estar sempre junto daquele que mais precisa, junto do homem! A nós basta-nos ter fé e acreditar que com Ele a nosso lado tudo é possível. Sonhemos, então!

Tiago Krug disse...

É por estas coisas que quando te dou um abraço, sinto que és realmente meu mano...

Tian

Anónimo disse...

Espetacular esse teu jeito...
Mais uma vez fico sem palavras.
Mano fica bem, fica com aquele abraço, aquele abraço do sonho...

Beijo grande mano, amo-te sempre :)

Paula!.........